quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Concurso à vista - SP

Essa é para os concurseiros e interessados na carreira de Perito Criminal de SP. É a reprodução de uma notícia que saiu na Folha Dirigida, escrita por Eliane Anjos:

O número de vagas solicitadas para o concurso de perito criminal da Superintendência da Polícia Científica de São Paulo deve aumentar. Em vez das 70 divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública, há pelo menos 80 vagas disponíveis para serem preenchidas. Segundo o diretor do Instituto de Criminalística (IC), Adilson Pereira, o pedido de autorização prevê que, além das inicialmente solicitadas, sejam ofertadas outras vagas que surgirem até sair o edital.

Segundo a assessoria de imprensa da Casa Civil, o pedido continua sob análise no órgão.

O secretário de Segurança Pública afirmou, ao anunciar as vagas, no último dia 12, que a aprovação de concurso para perito e para 60 vagas de médico legista deve acontecer em breve. Somente após a autorização terão início os procedimentos de publicação do edital.

Para o diretor do IC, as 80 vagas não serão suficientes para suprir as demandas do Instituto, que emite aproximadamente 610 mil laudos por ano. Esse total é analisado por um grupo de 1.090 peritos na ativa, o que resulta em, aproximadamente, três laudos para cada perito por dia útil. A esperança é ver transformado em lei o projeto de criação de 1.730 vagas para a Polícia Científica. “A proposta do governo para ampliação de cargos irá gerar um acréscimo de 330 peritos. Na realidade, eu precisaria preencher essas 80 vagas e ter o aumento de quadro para que o IC possa dar uma resposta mais rápida”, explicou Pereira.

O tempo técnico para realização da perícia, que vai desde o início da análise dos materiais coletados até a emissão do laudo, é de 30 dias, mas, dependendo do caso, pode se estender por meses. “A nossa visão é diminuir cada vez mais esse hiato entre o momento do atendimento e o momento da expedição do laudo e, para diminuí-lo, preciso dar menos casos para cada perito e, para isso, preciso aumentar o quadro”, enfatiza o diretor.

Sobrecarga - Atualmente, os 1.177 peritos criminais se dividem entre núcleos de perícia especializada e laboratórios. Entre os núcleos de peritos que vão a campo estão: Acidente de Trânsito, Crimes Contra o Patrimônio, Crimes Contra a Pessoa, Documentoscopia, Engenharia, Perícias Especiais, Identificação Criminal e Perícias de Informática. Os profissionais também podem atuar internamente nos laboratórios de Análise Instrumental, Balística, Biologia, Bioquímica, Física, Química e Exames de Entorpecentes. Os peritos de campo trabalham de forma integrada com os demais, que fazem a análise do material coletado. O diretor aponta que há carência de peritos em todas os postos do IC e em todas as áreas de atuação desse profissional. “Se eu separar por demanda, tenho uma necessidade maior no atendimento de campo, em que o perito vai no local do crime”, observa Pereira, que estima em 40% o percentual de peritos em condições de se aposentar nos próximos 11 meses. A falta de pessoal tem sobrecarregado os peritos criminais e levado a instituição a dividir o trabalho entre peritos de outras áreas. “A situação está drástica. Há alguns lugares que tem pouquíssimos servidores e, por isso, precisamos fazer revezamento de escala. Temos peritos dando plantão em outros lugares para ajudar a cobrir.” Requisitos - Para ser perito criminal, é preciso ter ensino superior em qualquer área. Apesar de haver laboratórios especializados, Pereira esclarece que não é possível fazer um concurso para formações específicas. “Os 11 meses de Academia dão ao perito uma condição de ele atuar em campo. Em teoria, todos estão aptos a atender local de crime. Dentro da própria especialidade dele, em havendo necessidade de você suprir um dos núcleos especializados com essa especialidade, há uma alocação do funcionário para lá. Atualmente, não se faz um concurso específico”, destaca. A remuneração de um perito é de R$5.559,30 em cidades com até 500 mil habitantes e de R$5.874,30 em cidades com um número maior. Médico legista - O pedido de autorização de 60 vagas em concurso público de médico legista também está sob análise da Casa Civil. Há pressa para realizar a seleção. O diretor do Instituto Médico Legal, Roberto Souza Camargo, disse à FOLHA DIRIGIDA que estima haver mais de 30% de médicos em condição de se aposentar. Assim como no Instituto de Criminalística, os atendimentos também vão além da capacidade atual do corpo dos servidores. Cada médico faz, em média, 952 perícias ao ano, o que corresponde a cerca de quatro perícias por dia útil. “Eu queria o concurso para ontem”, afirmou Camargo. O cargo exige ensino superior em Medicina. Os vencimentos são os mesmos de perito.

4 comentários:

  1. Caro Claudemir...

    O que acha... será que sairá ainda este ano esse edital ?

    Abs

    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. Esperamos que sim. A falta de peritos é grande e a demanda só aumenta.

    Saudações,

    ResponderExcluir
  3. Olá, este ano irei me formar em Farmácia e meu sonho é ser perita, mas eu tenho uma dúvida...
    Quem tem tatuagem no pulso e no dedo pode entrar para a perícia??
    São tatuagens pequenas e discretas.
    Aguardo resposta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Prezada Nilsa,

    A idéia de que tatuagens impossibilitam o sucesso em concurso público para carreiras de segurança pública é antiquada e, hoje, mitológica. Tenho colegas de turma que são tatuados e nunca tiveram problemas nesse sentido. Preocupe-se mais em estar preparada tecnicamente para a prova e, posteriormente, para a profissão.

    Saudações,

    ResponderExcluir